A importância da saúde mental dentro das empresas

Saúde mental no ambiente de trabalho


Segundo dados da OMS, os transtornos mentais e comportamentais estão entre as principais causas de perdas de dias de trabalho no mundo. Os casos leves causam em média perda de quatro dias de trabalho/ano e os graves cerca de 200 dias de trabalho/ano.

Assim como a saúde física, a saúde mental é parte essencial para a integridade do ser humano. Mas grande parte dos profissionais sofre de ansiedade, depressão e outros problemas psicológicos que comprometem a qualidade das atividades e o relacionamento entre as equipes de trabalho.


As principais causas dos problemas de saúde mental nos trabalhadores


Esse fenômeno acontece porque um indivíduo dedica a maior parte do tempo ao seu ofício, dessa forma, ele não consegue exercer suas funções ao mesmo tempo em que lida com transtornos mentais no ambiente de trabalho. Essas frustrações são comuns e acontecem o tempo todo, seja pela ameaça da perda do emprego, pelo desempenho não reconhecido, por falhas cotidianas, por relacionamentos complicados, pela insatisfação com o serviço ou pressões de produtividade.

Neste momento, para muitas pessoas, o ambiente de trabalho é torturante, com muitas cobranças, pressão e líderes pouco compreensíveis e autocráticos, gerando péssimas relações profissionais, que, além de comprometerem o desenvolvimento da equipe, podem gerar situações desagradáveis. Problemas, como dúvidas na função, má gestão, comunicação ruim e assédio psicológico e sexual, são alguns exemplos encontrados no meio empresarial que se acumulam favorecendo a perda de equilíbrio da pessoa, acarretando grandes problemas de saúde e profissionais.


Ações preventivas


Os locais de trabalho que promovem a saúde mental e apoiam pessoas com transtornos mentais são mais propensos a reduzir o absenteísmo, aumentar a produtividade e se beneficiar de ganhos econômicos associados. Algumas iniciativas como, a flexibilidade da jornada de trabalho, o redesenho dos fluxos, o enfrentamento de dinâmicas negativas do ambiente e a comunicação sobre apoio confidencial podem ajudar pessoas com transtornos mentais a continuar ou retornar ao trabalho. Além disso, os acessos a tratamentos demonstraram ser benéficos para a depressão e outros transtornos mentais. Contudo, por conta do estigma associado a esses transtornos, os empregadores precisam garantir que indivíduos se sintam apoiados e capazes de pedir ajuda para continuar ou retornar ao trabalho, e tenham os recursos necessários para isso.

Um canal aberto, com diálogos constantes e interação entre os profissionais da empresa, pode contribuir para aliviar a pressão do dia a dia no trabalho e torna as relações mais empáticas.

Todos têm papel importante nas ações preventivas para evitar problemas de saúde mental, empregador, equipe, gestores e líderes, e no desenvolvimento de medidas de controle do ritmo de trabalho, sempre pensando em metas alcançáveis em tempo hábil.

Para isso, é fundamental treinar a liderança para aprimorar as relações pessoais e promover iniciativas que reduzam o estresse dos colaboradores e os conflitos pessoais, como, momentos de descontração, ginásticas laborais, pausas e, até mesmo, mudanças estruturais no ambiente.

Ainda que o controle emocional e mental seja individual, promover um ambiente favorável à saúde mental é uma tarefa coletiva e parte fundamental para a qualidade de vida do ser humano.

Portanto, investir em programas de prevenção e promoção da saúde mental demonstra o interesse da empresa em alcançar os objetivos e as metas, sem, contudo, deixar de lado todos os cuidados com o bem-estar corporativo. É um investimento com retorno certo!

7 visualizações0 comentário